gondolas-veneza-Sarah Lötscher Pixabay

O que fazer em Veneza: diversas dicas e atrações!

Veneza, chamada de La Serenissima, é uma cidade de paisagem dramaticamente diferente de todas as cidades do mundo. Inclusive, não há apenas um adjetivo para descrever Veneza. Afinal, não existem parâmetros para compará-la. Talvez o mais adequado seja, excêntrica. Mas uma coisa é certa, ela é uma das cidades que a maioria das pessoas desejam conhecer e saber o que fazer em Veneza é muito importante para aproveitar a visita ao máximo.

Apesar de ser uma das poucas cidades do mundo que tem a mesma aparência há centenas de anos, a despeito do mundo moderno em que está inserida, Veneza é um labirinto de beleza sem fim. Pois a cidade está sobre 118 ilhas e ilhotas que são conectadas por 100 canais e tem cerca de 400 pontes. Então, vamos descobrir um pouco desta cidade tão incrível?


Leia também:


Seguros Promo

O que fazer em Veneza

Eu não sei de vocês, mas eu amo Veneza! Nunca me canso de voltar lá. Apesar de sempre ouvir que tem gente que se decepciona muito com a cidade, são justamente os pontos negativos que as pessoas apontam que me fazem ser encantada com ela. Naturalmente não o mau cheiro dos canais, mas este eu, definitivamente, nunca senti.

Me perder pelas ruelas de Veneza, conhecer e rever suas atrações, comer pizza vendida em pedaços e se sentar nas suas praças para observar as pessoas e a vida da cidade, fazem parte das minhas melhores lembranças. Realmente Veneza é única, cheia de história e eu acho que conhece-la vale muito a pena!

Veneza

Justamente por ela ser um labirinto de ruas estreitas sobre várias ilhas que você deve planejar bem sua visita. Assim você pode aproveitar muito mais seu tempo e conhecer o máximo possível. Já sabendo de antemão o que fazer em Veneza, vai otimizar muito sua viagem. Mas este post tem também a intenção de mostrar para você que Veneza tem muito mais a te mostrar do que a maioria dos blogs e guias de viagem por aí contam. Então, leia tudo com atenção, pois tenho certeza de que você vai encontrar atrações em Veneza que você nem sonhava que existiam! 😉

Onde ficar em Veneza

A Veneza que a gente vê nas fotos, guias turísticos e aquela que queremos visitar, se localiza em uma ilha. Contudo, há também a Veneza Mestre, que fica no continente e que se liga a Veneza (ilha) por uma ponte. Sendo assim, uma das grandes decisões que você precisará tomar sobre onde ficar em Veneza é exatamente essa: “ficar em Veneza ou em Mestre?“.

Não há dúvida que das coisas legais para fazer em Veneza, ficar hospedado na ilha é a melhor opção. Especialmente no fim do dia a multidão dos visitantes de um dia vão embora. Ela fica tranquila e caminhar torna-se um prazer ainda maior. Fora que os habitantes, se tornam mais simpáticos e receptivos, além de vários restaurantes ficarem sem fila na porta, enfim tudo parece sorrir.

Entretanto, ficar em Veneza tem seu preço. E muitas pessoas não estão a fim de pagar, o que eu acho super compreensível. Afinal, Mestre está ali ao lado, com preços bem mais acessíveis e do outro lado da ponte. Por isso, vou dar algumas boas sugestões de hospedagem para você, tanto em Veneza, como em Mestre. Dessa forma, analisando os valores você pode optar o que melhor se encaixa no seu orçamento.

Veja abaixo o mapa de Veneza para entender melhor o que estou falando:

Onde ficar em Veneza

>> Melhores hotéis em Veneza aqui <<

Onde ficar em Veneza (ilha)

Os bairros de Veneza são chamados de Sestiere em italiano. Os bairros mais centrais e perto das principais atrações de Veneza são: San Marco e San Polo. Porém são também os mais caros. Para acomodações mais em conta, vale pesquisar na sestiere Cannaregio. Já para quem curte badalas, Dorsoduro é a melhor opção.

Bairros de Veneza

Alguns hotéis em Veneza com boa avaliação:

Acomodações em Mestre (Veneza continental)

Como mencionei acima, Mestre é uma opção para quem busca por hotéis com preços mais acessíveis. Contudo, lembre-se que Veneza-Mestre não fica na ilha de Veneza, são cerca de 10 km que as separam. Dessa forma, para chegar em Veneza você pode usar o transporte público (Actv) da cidade que funciona muito bem. Ou seja, pegue um ônibus ou trem até a ilha e lá use os barcos (vapporetos) para circular lá dentro. [Compre aqui ingressos do transporte público em Veneza].

Então, a dica para ficar em Mestre é encontrar um hotel próximo a estação da Actv, pois assim facilita seu deslocamento diário até Veneza.

Alguns hotéis em Mestre com boa avaliação:

Onde ficar em Veneza (mapa):

(Aperte o botão “-” para ver a região de Mestre também).

Booking.com

Chegando em Veneza

Como Veneza é uma cidade singular, você precisa se planejar para chegar nela. Pois a partir de um certo ponto, dentro da cidade, não existe mais como seguir a não ser de a pé ou pela água. Mas antes disso, você pode optar por chegar na cidade de avião, de trem, de ônibus ou de carro. Ou de navio, naturalmente.


Vá para Veneza a partir de:


Aeroporto de Veneza

O aeroporto da cidade, Marco Polo, fica no continente, a cerca de 13 quilômetros da Piazzale Roma, onde o táxi ou ônibus vai poder te deixar na cidade. Pois a partir desta praça não tem mais como circular de carro na cidade. Naturalmente existem outras maneiras de chegar mais próximo do seu hotel ou das atrações, mas elas são bem mais caras. Por exemplo, você pode pegar o táxi aquático privado ou um transfer aquático compartilhado a partir do aeroporto.

Entretanto, existe um outro aeroporto que você pode usar para chegar em Veneza. Ele se chama Aeroporto de Treviso e fica a cerca de 40 quilômetros de distância.

Piazzale Roma

Se você chegar de carro ou de ônibus, é este lugar onde você vai parar, pois os parques de estacionamentos e a estação de ônibus ficam nos arredores desta praça. Ainda, é aqui que param os navios de cruzeiros que atracam em Veneza.

Piazzale Roma | Shutterstock – Markus Mainka

Então, este é o ponto mais próximo que se chega da cidade de carro e dali todos seguem ou a pé ou de vaporetto. Ou claro, em barcos de transfer privados.

Estação (Stazione) de Trem Venezia Santa Lucia

Muitos chegam a Veneza de trem, e para mim, este é o melhor ponto para começar um passeio na cidade. Pois a estação fica localizada na ponta da ponte que liga Veneza ao continente e bem próxima da Piazzale Roma. Inclusive, a estação de trem tem ótimas conexões com todos os pontos da cidade via vaporetto.

O desenho abaixo mostra a vista da frente da estação de trem Venezia Santa Lucia. Os pontos marcados de A até E são as paradas de Vaporetto. Tal e qual a uma linha de ônibus, cada linha tem a sua parada marcada pelas letras abaixo.

O que fazer em Veneza Santa Lucia


Deslocando-se pela ilha

A princípio, tudo na cidade é feito a pé ou de vaporetto. Aliás, o vaporetto é o meio de transporte utilizado para se deslocar em Veneza, já que não existem carros e nem ônibus circulando na cidade. Tal e qual a uma linha de ônibus, cada linha de vaporetto tem a sua parada marcada por letras e fazem uma rota específica.

Por exemplo, se você optar por ir a pé até a Piazza de San Marco, saiba que o trecho de ida ou volta leva aproximadamente 45 minutos – sem se perder! Já a viagem de vaporetto até lá leva cerca de 25 minutos (e economiza as pernas!).

Vaporettos

Vaporetto é o nome do barco de transporte coletivo que se utiliza em Veneza e é a forma mais barata de flutuar nas águas de Veneza. São diversas linhas de vaporetto que circulam dentro de Veneza e ligando ela as ilhas que estão ao seu redor. A frequência destes barcos varia em função da linha, mas a mais utilizada, para San Marcos, passa de 10 em 10 minutos.

As linhas de vaporetto mais utilizadas pelos turistas são as 1, 2 e 51, que vão para San Marcos, sendo que a linha 51 não vai pelo Grande Canal. Entretanto, a linha de vaporetto 1 leva cerca de 35 minutos, já que faz mais paradas.

>> Compre antecipadamente seu bilhete de vaporetto sem filas aqui!

Atenção:

Certifique-se antes de embarcar em um vaporetto que está indo na direção que você deseja. Por exemplo, se você quer ir a San Marco ao longo do Grande Canal nas linhas 1 e 2:

-Embarque na parada da estação de trem/Ferrovia, os barcos devem estar se dirigindo à esquerda para o Grande Canal.

– Embarque na Piazzale Roma, os barcos que seguem para o Grande Canal devem estar se dirigindo para a direita.

Por toda Veneza você vai encontrar placas pelas ruas indicando os caminhos para as paradas de vaporetto, como esta abaixo. Então, se você estiver perdido, siga as placas que em algum ponto você vai encontrar uma parada de vaporetto.

O que fazer em Veneza Vaporetto placa

Passeios de Gôndola

Como ir a Veneza e não andar de gôndola, não é mesmo? Este é o passeio mais desejado de se fazer na cidade. Na realidade, o passeio de gôndola é uma atração em si! Geralmente o passeio está na lista do que fazer em Veneza de todos os visitantes.

O preço do passeio de gôndola é tabelado, então não vale a pena sair perguntando e tentando encontrar mais em conta. Entretanto você pode fazer o passeio em grupo, o que vai deixar o passeio mais barato por pessoa. Outra maneira de o passeio sair mais barato é encurtar o passeio. Por isso, combine direito tanto o preço quanto o tempo de duração antes de embarcar. Ah! Também vale alertar que depois das 19:00 as tarifas sobem.

Outro ponto a prestar atenção é que nem todo gondoleiro canta. Se você sonha com a cantoria, vale a pena perguntar antes.

Por fim, fazer o passeio pelo Grande Canal não é uma boa opção, principalmente se você costuma ficar enjoar. Pois os passeios pelos canais menores são bem mais charmosos e tranquilos.

Compre já o seu:

O que fazer em Veneza Gondolas
Gôndolas em Veneza

Traghetto

O traghetto é um tipo de gôndola que faz travessias entre uma margem e outra do Grande Canal. Este barco é usado em regiões onde não tem uma ponte perto para atravessar o Grande Canal, que só tem pontes em 3 pontos. Podemos dizer que este é um passeio de gôndola low cost, pois é parecido com uma gôndola, mas com muita mais gente a bordo.

São sete paradas de traghettos em toda a cidade. A travessia dura cerca de 1 minuto e custa €2,20 para turistas.


Dica importante:

Os ingressos para Veneza devem ser comprados com antecedência!

Muitas vezes, há filas extremamente longas nas bilheterias dos principais pontos turísticos de Veneza. Como esperar na fila por horas não é nada agradável e é um desperdício inútil do valioso tempo de férias. Então, aviso que há longos tempos de espera, por exemplo, no Palácio Ducal, na Basílica de São Marcos, na Galerie dell’Accademia e na Coleção Guggenheim. Inclusive, você também pode poupar tempo e comprar online facilmente passagens de ônibus do aeroporto para Veneza antes de viajar. Assim como, pode comprar o bilhete para o vaporetto!

Os bilhetes para o ônibus do aeroporto de Veneza para a cidade estão disponíveis nesta página.

Quase todos os ingressos importantes estão disponíveis no respeitável site em português GetyourGuide.

Além disso, no ótimo site GetyourGuide você encontrará muitos outros passeios e pechinchas, como passeios de barco para 3 ilhas ao redor de Veneza, vários passeios pela cidade, os famosos passeios de gôndola e muito mais.


Atrações de Veneza

Primeiramente, acho importante mostrar um mapa de Veneza para você ver como a cidade está distribuída. Dessa maneira fica mais fácil de entender os caminhos, os bairros e o que é o Grande Canal (Canale Grande), a grande “estrada” de Veneza. Então no mapa abaixo você pode ver o nome de alguns bairros, assim como de algumas ilhas que ficam ao redor de Veneza.

O que fazer em Veneza Sestiere

Eu vou explicar as atrações pelos sestieres, que são os bairros de Veneza. Assim, ao estar numa região da cidade, você pode saber tudo que tem de interessante nestes arredores e saber exatamente o que fazer em Veneza por ali. Já que a cidade é realmente um labirinto e ficar indo e vindo pode fazer você se perder e perder um tempo precioso. Por isso, quem quiser conhecer um pouco mais da cidade, além do básico, deve se planejar. Para conhecer o que Veneza tem a oferecer, vale a pena ler um pouco mais. 😉

Grande Canal

A “auto-estrada” veneziana, tem cerca de 4 km de comprimento, cerca de 70 metros de largura e aproximadamente 4,50m de profundidade. Entretanto, este canal é apenas um dos 177 canais que atravessa a cidade. Mas é o de maior interesse para os visitantes, pois começa na Piazzale de Roma e termina na Piazza de San Marco.

Enquanto vamos seguindo de vaporetto por ele, vemos passar nas suas margens elegantes palácios, pontes lindas, gôndolas, ferries, lanchas-táxi, barcos com os produtos frescos do dia etc. No meio do Grande Canal está a mais famosa das pontes venezianas, a Ponte do Rialto. Mas o canal é atravessado ainda pelas Pontes degli Scalzi, dell’ Accademia e Ponte della Costituizione.

Venezia Grande Canal
Grande Canal

Cannaregio

O primeiro sestiere (bairro) da cidade é Cannaregio, onde fica a Estação Santa Lucia (estação de trem). Dessa forma, para muitos, Cannaregio é o ponto de partida para desbravar a cidade. Você pode optar por partir de a pé daqui até a Praça de San Marco ou pode pegar um vaporetto que vai te deixar lá ou em outros pontos da cidade.

No entanto, vale contar que este sestiere tem importantes casarões históricos e uma das mais belas e importantes igrejas de Veneza: a Madonna dell’Orto, com vários quadros de Tintoretto.

Ponte della Costituizione (Ponte Calatrava)

Esta é a ponte mais nova da cidade e liga a Piazzale Roma (estação de ônibus e estacionamento) com a zona da Estação de trem Santa Lucia. A ponte foi projetada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e inaugurada em setembro de 2008. Desde lá ela já recebeu inúmeras críticas, seja pela sua forma moderna, custo elevado e por causar inúmeros acidentes, já que muitas pessoas já escorregaram e caíram ao atravessá-la.

Ponte della Costituzione
Ponte della Costituzione
Ponte degli Scalzi

Provavelmente a primeira ponte que se vê por quem chega de trem à cidade. Esta ponte também atravessa o Grande Canal e fica nas proximidades da estação Santa Lucia. Assim ela conecta Cannaregio com Santa Croce. A ponte tem 40 metros de comprimento, 7 metros de altura e foi construída em 1934 em pedra.

Ghetto Ebraico (gueto judaico)

Inicialmente, vale contar que a palavra “Ghetto” é uma alteração da palavra veneziana “getto” que significa “fundição”. Seja como for, este bairro foi construído no lugar de uma antiga fundição e daí surgiu a palavra gueto para definir o bairro dos judeus. Na época da República de Veneza, esta região foi designada aos judeus da cidade. Apesar de sempre ter sido uma das regiões mais pobres de Veneza, a área foi repaginada no final do século XX.

Ghetto Ebraico
Ghetto Ebraico | Shutterstock: Boris-B

>> Veneza: excursão privada ao Cannaregio e ao Bairro Judeu

>> Veneza Secreta: excursão privada à pé de 2 horas

Chiesa Santa Maria dell’Orto ou Madonna dell’Orto

Tintoretto, o grande pintor veneziano, era frequentador desta igreja e pintou dez telas incríveis para igreja. Inclusive, ele está enterrado aqui, numa das capelas no lado direito dentro da igreja. Além disso, esta é uma das principais igrejas venezianas e a visita vale muito a pena.

A fachada é toda de tijolo vermelho e foi construída em 1460-1464. No interior você pode ver várias grandes obras, além das pinturas de Tintoretto. O órgão sobre a entrada é de 1878 e é um dos mais potentes de Veneza. Entrada na igreja é paga. Horário: de 2ª-sábado, das 10:00 às 17:00. Já aos domingos a igreja abre entre 12:00 e 17:00.

Campo dei Mori

No Campo dos Mouros, próximo à igreja Madonna dell’Orto, tem uma lenda bem interessante em torno das estátuas dos mouros que estão nas fachadas de algumas casas. Conta-se que eram 3 irmãos da Morea ou Peloponeso, que foram à Veneza para comercializar seda e que permaneceram por lá, onde construíram o Palazzo Mastelli. Este palácio fica também nas proximidades, com o alto-relevo de um camelo na frente. De acordo com a lenda, essas estátuas seriam os próprios irmãos Mastelli que, condenados por Deus após anos de desonestidade no comércio, viraram estátuas.

Se realmente esses 3 irmãos existiram, não se sabe. Porém, no meio de tantas tradições criadas na Itália, diz-se que esfregar a mão no nariz do Sr. Rioba permite ao turista a chance de voltar à Veneza. Não é à toa que o pobre nariz foi restaurado diversas vezes. Inclusive, ele foi substituído por uma peça de ferro. Nesta zona, há um quarto moro com um grande turbante conduzindo um camelo enorme na rua do Rio della Sensa, bem na fachada da casa que pertenceu ao pintor Tintoretto.

Casa de Tintoretto

A casa do famoso pintor renascentista Jacopo Robusti, conhecido como “Tintoretto” (1519-1594) fica n Campo dei Mori. A família morou por cerca de 20 anos nesta casa do século XVI. O pai do pintor era tintureiro, ou tintore, então seu filho recebeu o apelido de Tintoretto. Já na infância Jacopo, começou a pintar nas paredes da tinturaria. Por isso, seu pai o levou ao estúdio de Ticiano, outro morador de Veneza. Por causa de sua energia fenomenal na pintura, ele foi chamado de Il Furioso, e seu uso dramático do espaço em perspectiva e efeitos especiais de iluminação o tornam um precursor da arte barroca.

Ponte Chiodo

A Ponte Chiodo é uma ponte muito antiga, que não tem parapeito, como todas as primeiras pontes de Veneza. Esta ponte super fotogênica é a última ponte desse tipo em Veneza. A única outra ponte como ela fica na ilha de Torcello. Inclusive, esta outra ponte gêmea da Ponte Chiodo é bem mais famosa e se chama Ponte do Diabo. Por curiosidade, foram filmadas nesta ponte cenas do famoso filme Summertime (1955) com Katharine Hepburn.

Ca d’Oro

Este palacete é um dos exemplos mais bem preservados da arquitetura gótica veneziana. O Ca d’Oro ou Palazzo Santa Sofia fica de frente para o Grande Canal de Veneza. Então, você pode ver ele ao passear pelo canal. Como é de se imaginar, seu nome significa casa dourada pois antigamente ele tinha uma decoração externa dourada.

Atualmente o palacete abriga um museu, a Galleria Franchetti, com a coleção de obras de arte de Giorgio Franchetti. Além disso, o lugar abriga diversos laboratórios de conservação e restauro de obras de arte.

Calle Varisco

Quer conhecer a rua mais estreita de Veneza? A Calle Varisco tem apenas 53 cm de largura e fica não muito longe da Fondamenta Nova.

Calle Varisco



Santa Croce

Santa Croce é vizinho de Cannaregio, ao qual está ligado pela Ponte dos Descalços sobre o Grande Canal. Apesar de Santa Croce não ter tantas atrações, ele ainda vale a visita. É aquele lugar super típico e certamente uma das coisas legais para fazer em Veneza é conhecer a Veneza dos moradores.

Chiesa San Zan Degolá

Esta igreja é um raro exemplo de conservação da arquitetura vêneto-bisantina nos dias de hoje. Não há nenhuma indicação que determine a data da construção desta igreja; o primeiro documento é datado de 1007 com modificações posteriores; há afrescos recém-descobertos sem datação ainda. Seu lado interno é bastante simples, com oito colunas em mármore grego com capitéis (parte superior da coluna geralmente ornamentada) bizantinos do séc. XI.

Museu de História Natural

Pouco provavelmente um Museu de História Natural vai estar na sua lista do que fazer em Veneza. Eu sei disso. Heheheh! Mas este pequeno museu vale a visita, principalmente se você estiver com crianças. Além de ser um dos destaques desta parte da cidade, o prédio é bem bonito.

>> Compre aqui seu ingresso para o ingresso para o Museu de História Natural

Palazzo Moncenigo

O palácio foi a casa de uma das mais importantes famílias de Veneza, entre os quais 7 integrantes se tornaram Doges entre 1414 e 1778. Dessa forma, este importante palacete se tornou um museu com coleções de costumes, bordados e tecidos dos museus Correr, Guggenheim, Cini e Palazzo Grassi. Ainda conta com uma biblioteca bem interessante especializada em moda.

San Stae

Outra igreja que vale a pena observar. Ela é dedicada a Santo Eustaquio e fica de frente para o Grande Canal. Foi construída em 1670 pela família Moncenigo para ser cripta familiar e foi decorado no estilo barroco tardio italiano. A fachada é bonita e imponente, enquanto o interior é bem simples.

Ca’ Pesaro

Outro palacete famoso de Veneza, o Ca’ Pesaro também fica de frente para o Grande Canal. O palácio de 1710 abriga dois museus. A Galleria Internazionale d’Arte Moderna (Galeria Internacional de Arte Moderna) apresenta obras de arte do século XIX e movimentos como expressionismo, surrealismo e Macchiaoli. Já o Museo d’Arte Orientale (Museu de Arte Oriental) mostra mais de 30.000 objetos adquiridos pelo príncipe Enrico di Borbone em uma de suas viagens à Ásia.

>> Ingresso para o Museu de Arte Moderna e Oriental Ca’ Pesaro

Ca’ Pesaro ao fundo

San Polo

Logo ao lado de Santa Croce está o sestieri de San Polo. Ele é o menor bairro da cidade e foi povoado antes do século IX, com isso esta área é uma das mais antigas da cidade. Os primeiros habitantes da cidade observaram que a área era mais alta e nunca alagava. Inclusive, foi aqui que o Mercado Central de Veneza surgiu em 1097 e existe até hoje.

Entre as atrações de San Polo está a Ponte de Rialto, a mais famosa da cidade, que une San Polo a San Marco. Mas a região conta com muitas lojas, mercados e outras atrações.

Ponte de Rialto

Sem dúvida, a ponte de Rialto é a mais antiga e famosa das quatro pontes existentes sobre o Grande Canal. Então, ela tem de estar na sua lista do que fazer em Veneza! Uma passada por ela é imperdível!

Por quase 300 anos, até o início do século XIX, ela era o único meio de atravessar o Grande Canal. Aliás, a ponte foi concluída em 1591 e é um dos ícones arquitetônicos de Veneza, em forma de arco único. Não por menos, a ponte com 29 metros de extensão e que fica a 7,5 metros de altura no seu centro, é a mais visitada e fotografada de toda Veneza.

Venezia Ponte de Rialto
Ponte de Rialto
Mercados de Rialto

A área entre o Campo de San Polo até a Ponte Rialto é conhecida entre os locais pelo seu famoso mercado com várias barracas de comida, peixes etc. Inclusive, tem registos deste mercado desde 1097! Apesar de ser uma região bem movimentada e até caótica, ao mesmo tempo é um lugar típico e bem característico de Veneza. Diariamente aberto, o mercado é bastante frequentado por moradores venezianos, mas também por turistas.

Campo San Polo

Eu adoro passear nos arredores do Campo San Polo! Pois é uma região onde se encontra bastante residentes e tem um clima bem tranquilo. Inclusive, esta é a segunda maior praça de Veneza depois da Praça de São Marcos.

Campo dei Frari

Certamente este é um dos campos mais importantes e frequentados da ilha por causa da basílica de Santa Maria Gloriosa dei Frari. Afinal, a igreja é um dos maiores edifícios religiosos de Veneza com obras importantes do renascimento.

Campo dei Frari
Basilica di Santa Maria Gloriosa dei Frari

Normalmente chamada de Frari, esta igreja franciscana é uma das maiores de Veneza. O campanário (acabado em 1396) tem 83 metros de altura e é o segundo mais alto da cidade depois do da Basílica de São Marcos. O exterior é simples, mas no seu interior tem 17 altares monumentais e abriga muitas obras de artes, entre elas, duas de Tiziano. Além disso, possui obras de vários famosos, como Giovanni Bellini, Donatello e outros. Aqui poderá ainda visitar túmulos dos Doges e de artistas, como Canova, que tem seu coração sepultado aqui.

Chiesa di San Rocco

Nesta igreja estão as relíquias de San Rocco, o padroeiro de Veneza. Em 1576 o santo foi declarado padroeiro da cidade e desde lá, anualmente no dia 16 de agosto (dia do santo), o Doge fazia uma peregrinação até a igreja.

Perto da igreja está a Scuola Grande di San Rocco, conhecida por suas inúmeras pinturas Tintoretto.

Scuola Grande di San Rocco

A escola de San Rocco nasceu ao lado da igreja de San Rocco. Em 1564, Tintoretto foi contratado para decorar a Escola com afrescos. Por isso, todas as obras internas são suas ou de seus alunos. Realmente um lugar imperdível para os amantes da obra de Tintoretto, mas também com obras de Tiziano.

>> Áudio guia para a visita a Scuola Grande di San Rocco

O que fazer em Veneza Scuola Grande di San Rocco

Apesar de o Campo San Pantaleone, onde está a Igreja de San Pantalon, já ser considerado o bairro de Dorsoduro, eu vou colocar aqui pois fica mais próximo de visitar por aqui.

Igreja de San Pantalon

Certamente o grande atrativo desta igreja é que aqui está a maior pintura em tela do mundo, obra do pintor veneziano Gian Antonio Fumiani. Ela cobre a maior parte do teto e retrata a vida e a morte do santo padroeiro da igreja. Supostamente, Fumiani morreu enquanto trabalhava na tela do teto. Ainda, dizem que a Capella del Santo Chiodo (Capela do Santo Nail), no interior da igreja, guarda os pregos supostamente usado na crucificação.

Ao lado da igreja está o Campiello de Cà Angaran, que apresenta em uma de suas paredes um medalhão de mármore do século XII. No medalhão está um imperador bizantino em trajes de gala. Aliás, tem um medalhão quase idêntico no Museu de Dumbarton Oaks, Washington, DC.

O que fazer em Veneza medalhão

Use nosso cupom: VIAJOTECA e garanta pelo menos 15% de desconto na compra do seu chip de celular com “O Meu Chip“! Super dica!

*(O valor do desconto aparece somente depois do pedido, antes de efetuar o pagamento).

Chip de celular - cupom de desconto 15%


San Marco

Sem dúvida, a região de San Marco é a mais cheia de atrações em Veneza e naturalmente, a mais turística. Inclusive, é onde estão as principais atrações da cidade e algumas das maiores da Itália. Não tem como você visitar Veneza e não passar por aqui. Mas além dos grandes monumentos esta área tem muitas joias escondidas e que valem a pena serem apreciadas.

San Marco
San Marco | Shutterstock: Ingus Kruklitis

Campo San Bortolomio 

Este é outro campo veneziano que está a poucos passos da ponte de Rialto. Muito frequentado pela sua posição estratégica, já que a área é a sede bancária veneziana e considerada o coração socioeconômico da ilha.

Observe que no centro do campo há um monumento a Carlos Goldoni. Ele foi um famoso dramaturgo, escritor e letrista veneziano, principalmente conhecido pelo livro Commedia dell’Arte.

Em direção à ponte de Rialto é possível ver, quase escondida, a fachada da igreja de San Bartolomeo

Palazzo Contarini del Bovolo

Se você quer bater fotos bonitas num lugar super fotogênico, anote esta dica! Este pequeno palácio gótico do século XV tem uma escadaria de caracol no exterior que conduz a uma galeria, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade. A “Scala Contarini del Bovolo” é uma joia da arquitetura em Veneza e para subi-la você vai precisar pagar uma pequena taxa. Bovolo em veneziano que significa caracol. O palácio está situado perto da calle Campo Manin, junto à Ponte de Rialto, em uma rua pequena e menos frequentada. No Campo Manin tem uma pequena placa na parede que aponta para lá.

Piazza de San Marco

Nenhum lugar em Veneza se compara com a Piazza de San Marco! Certamente este é o coração da “Sereníssima”, sendo que o lugar foi palco de muitos acontecimentos na história de Veneza. Então, ao chegar na praça é difícil a gente não olhar em volta e ficar maravilhado com tanta beleza e com tanto lugar famoso.

Esta praça foi construída no século IX, como área pequena frente à Basílica de São Marcos original, que costumava ser uma pequena capela dentro do Palácio Ducal. Mas foi ampliada para a sua forma e tamanho atuais em 1177. Aliás, ela é a maior praça de Veneza. Já seu nome veio das relíquias do Santo, que foram trazidas de Alexandria no ano de 828 e instaladas na basílica.

Aqui estão os grandes marcos da cidade, como a Basílica di San Marco, o Campanile, a Torre dell’Orologio, o Museu Correr, a Biblioteca Marciana e o Palazzo Ducale.

Naturalmente, na praça existem outras atrações, só que mais comerciais. E tomar um café num dos dois famosos cafés da praça – o Florian ou o Quadri – é o sonho de muitos. Mas saiba que você vai pagar cerca de €12 por um cappuccino e mais €8 pelo couvert artístico da orquestra. 😉

O que fazer em Veneza San Marco


Inundação

Muita gente tem a preocupação se Veneza vai estar alagada quando for visitar a cidade, mas a temporada “acqua alta” normalmente vai de setembro a abril. Entretanto, por volta de novembro acontece o seu pico e é neste período que a probabilidade de você molhar as canelas.

Afinal, por que isto acontece?

A Praça de São Marcos é o lugar mais baixo de Veneza e a cidade fica no meio do Mar Adriático. Então, quando a água sobe, seja por causa de tempestades ou excesso de chuva, a praça é o primeiro local ficar inundado.


Basílica di San Marco

Veneza tem quase 100 igrejas, mas esta basílica em estilo oriental é a principal igreja da cidade. Além disso, ela é considerada um dos maiores monumentos de Veneza, pois ela é um dos cartões postais até mesmo da Itália. Ainda demonstra a grandeza da cidade e todo o poder que foi a República Veneziana. O estilo mistura Bizantino, Romano e Veneziano.

Basílica de San Marco
Basílica de San Marco

Seu exterior é de uma beleza sem fim, sendo que sua fachada é toda decorada com mármores e apresenta mosaicos. Se o exterior já abala as estruturas, o interior arrebata qualquer coração e foi sendo adornada ao longo do tempo, principalmente no século XIV. São mais de 4000 metros quadrados de mosaicos mistura dos estilos bizantino e gótico. Fora que não posso deixar de mencionar que estes mosaicos são decorados com ouro, bronze e uma grande variedade de pedras. Além disso, a igreja tem ainda tesouros orientais e 500 colunas que remontam ao século III.

A Basílica de San Marco é cheia de detalhes que a gente pode apreciar e abaixo falo de alguns deles. Já para aqueles que desejam visitar as relíquias de São Marcos, elas estão na cripta desde 1811. Alerto que seria interessante fazer um tour guiado para conhecer os detalhes deste monumento que está na lista de Patrimônios Mundiais da Unesco desde 1986

Monumento aos Tetrarchi

No exterior da Basílica de São Marco é possível ver os “Tetrarchi”. Estas são quatro estátuas de 1,30 metro de altura feitas de uma pedra avermelhada e que estão instaladas no lado sul da igreja, em um canto de uma pilastra. Conta a lenda, que os 4 homens aqui representados são 4 ladrões mouros que foram fulminados e petrificados antes de tentarem roubar preciosidades da basílica.

Mas a versão original é de que as figuras se abraçam e simbolizam a fraternidade entre os Césares e os Augustos. Inclusive, estas estátuas vieram de Constantinopla, após o grande saque que aconteceu na cidade durante a Quarta Cruzada.

Os Cavalos de São Marcos

Ainda no exterior, não deixe de observar os Cavalos de bronze de Constantino. Elas são quatro estátuas equestres em bronze, formando uma quadriga, feitas no século IV a.C. Estas obras da Antiguidade Clássica, acredita-se, adornaram o Arco de Trajano em Roma no século II e posteriormente o Hipódromo em Constantinopla no século IV. No entanto, elas voltaram para Veneza em 1204 como parte do saque de Constantinopla na Quarta Cruzada. Mas só foram acrescentados à basílica em torno de 1254.

Como é de se esperar, no alto da basílica estão réplicas de fibra de vidro, pois as originais estão no museu da basílica

O Tesouro de São Marco

Dentro da igreja, você pode visitar a uma área entre a igreja e o Palazzo Ducale que expõe o tesouro acumulado pela Basílica de San Marco ao longo dos anos. Atualmente, a coleção conta com 283 objetos preciosos que vieram em grande parte de saques feitos em Constantinopla. Você vai encontrar vasos, cálices litúrgicos, taças e vários outros objetos feitos em ouro, prata, vidro e outros materiais preciosos. Assim como presentes de papas, príncipes europeus ou dos próprios doges.

O que fazer em Veneza Basilica di San Marco
Basilica di San Marco


Atenção!

A fila é sempre muito grande para entrar na basílica e você pode ser barrado na entrada caso tenha mochilas e sacolas nas mãos! Não pode entrar com mochilas e sacos dentro da Igreja. Dessa forma, antes de entrar na fila, procure o mapa que se encontra no início da fila. Ali você vai encontrar o lugar onde você pode guardar seus pertences.

Ainda preste atenção à sua roupa, pois pernas e ombros à mostra também não entram.


Horário de abetura:

A Basílica abre de 2ª-feira a sábado, das 09:30 – 17:15. Já nos domingos e feriados abre das 14:00 -17:15. 

Entrada gratuita na basílica, mas a entrada no Museo di San Marco, visita ao Tesouro e Pala d’Oro são pagas.

Torre dell’Orologio

Outro ícone da cidade de Veneza e que você não deve deixar de ver é a Torre do Relógio. Ela fica do lado esquerdo quando a gente está de frente para a Basílica. No topo da torre de relógio estão duas figuras de bronze que “batem as horas”. Dizem que são 2 gigantes, mouros ou ainda camponeses (pois eles usam peles de ovelha). De fato, são um é velho e um jovem, que simbolizam a passagem do tempo.

Logo abaixo está o Leão de São Marcos alado com o livro aberto, diante de um fundo azul com estrelas douradas. 

Curiosidades:  

– O relógio é dotado de um sistema ativado apenas no dia de Reis (6 de janeiro) e da Ascensão. Nestes dias ele toca a cada hora e o painel lateral se abre deixando passar um carrossel de estátua de madeira representando os três Reis Magos liderados por um Anjo.

– Os sinos tocam duas vezes: uma vez, dois minutos antes da hora exata (obra do mouro barbudo, que representa um senhor velho ou, o tempo passado) e outra vez na hora exata (tocada pelo outro mouro, representando o mais jovem ou o tempo que virá).

Venezia Torre dell'Orologio
Torre dell’Orologio
Museu Correr

O Museu Correr fica nesta importante praça, mais precisamente no prédio conhecido como Ala Napoleônica”. Ele é o museu municipal e conta a história de Veneza, assim como expõe uma coleção rica e variada de arte da cidade.

Grande parte do acervo foi doado por Teodoro Correr em 1830, um magnata e um obstinado colecionador que doou toda sua coleção para a cidade. Mas o lugar também conta com muitas peças doadas por várias famílias venezianas importantes. Com isto, o lugar é referência mundial em arte veneziana e vale muito a visita se você for interessado em conhecer mais sobre Veneza.

Entretanto, o museu é tão rico e tão cheio de detalhes, que você precisa de pelo menos umas 3 horas para apreciar com propriedade.

Caffè Florian

Uma instituição na cidade, o Café Florian foi inaugurado em 1720 e é a mais antiga casa de café em funcionamento contínuo da Europa. Hoje é muito mais que uma cafeteria, é uma deliciosa atração turística da cidade. Extremamente elegante, o café sempre atraiu personalidades e famosos. Por exemplo, a lista de frequentadores inclui nomes como Goethe, Casanova, Lord Byron, Marcel Proust, e Charles Dickens. Além de toda história e longevidade, o Florian está entre os 10 cafés mais bonitos do mundo.

Naturalmente, comer ou beber aqui tem o seu preço. Inclusive, já começa com o couvert artístico de €8 por pessoa. Mas a comida, os coquetéis e vinhos são excelentes, então vale o investimento.

Campanile di San Marco

O Campanário de São Marcos é a torre do sino da Basílica de São Marcos e fica bem em frente a ela. Ele é um dos símbolos mais conhecidos de Veneza, assim como sua construção mais alta. Apesar de já existir aqui uma torre de sino desde o século IX, a estrutura foi construída e destruída inúmeras vezes ao longo do tempo. Inclusive, ela desabou completamente em 14 de julho de 1902. Então, uma nova construção foi feita igual exteriormente antiga torre e ficou pronta em 1912.

Campanile di San Marco
Campanile di San Marco

Isto possibilitou instalar na torre algumas modernidades, ou seja, para subir ao topo, você pode usar elevador. Sim, você pode subir no campanile e lá do alto ter uma visão incrível da Piazza di San Marco e até, em dias claros, dá para ver até os Dolomites (alpes italianos). Inclusive, eu já fiz um post só sobre ele aqui no Viajoteca.

+ CAMPANILE DI SAN MARCO EM VENEZA: COMO SUBIR E TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Certamente, não há lugar melhor para contemplar o panorama da cidade de Veneza do que do alto do campanário, tanto que Galileu Galilei usou o campanário como um observatório para estudar os céus e foi lá que em 21 de agosto de 1609 ele fez a demonstração do seu telescópio para o Doge de Veneza, Antonio Priuli.

Funções do campanário

O campanário tem 98,6 metros de altura e originalmente a torre servia de orientação às embarcações que se aproximavam da cidade. Além disso, os cinco sinos tinham cada um a missão de comunicar cinco mensagens diferentes durante o dia, como início e fim do trabalho, avisar o meio-dia, chamar senadores, convocar magistrados e anunciar execuções. Os sinos ainda são tocados até hoje, mas apenas para manter a tradição e entreter os turistas.

O topo da torre é coroado por um pináculo piramidal, no extremo da qual se encontra um cata-vento dourado com a figura do Arcanjo Gabriel de 3 metros de altura. A estátua possui asas que são empurradas pelo vento, fazendo-a girar: quando o anjo está de frente para a Basílica, significa que eles terão “água alta” (enchentes).

Dica

– Normalmente existem filas para subir no campanário, mas quem estiver com pressa (ou quer poupar dinheiro), tente visitar o campanário de San Giorgio Maggiore. Não é tão alto, mas tem boas vistas, é menos agitado, e custa menos.

– Na bilheteira existe um guarda-volumes (pago) e um balcão onde pode se alugar áudio-guia para conhecer mais detalhes sobre o campanário e arredores.

O que fazer em Veneza Campanile
La Marciana e Campanile
Biblioteca Nazionale Marciana

Se você gosta de visitar bibliotecas, esta, na praça de San Marco é muito especial. Afinal, ela é a mais importante biblioteca de Veneza. Além disso, ela é uma das maiores da Itália e conta com uma das mais ricas coleções de manuscritos do mundo. Inclusive, o lugar é conhecido na Itália simplesmente como La Marciana.

Para você ter uma ideia do que encontra por lá, as obras mais conhecidas são dois códices da Ilíada, do século X e XI. Além das obras incríveis que esta biblioteca guarda, o lugar foi decorado por nomes do calibre de Tiziano, Veronese, Tintoretto, entre outros.

Palazzo Ducale

Localizado bem no coração de Veneza, ao lado da Basílica, o Palazzo é a antiga sede dos Doges de Veneza e da magistratura veneziana. Uma obra-prima da arquitetura gótica veneziana, o belo palácio todo feito de mármore rosa parece feito da mais fina renda com suas 38 colunas e ameias pontiagudas.

O magnífico edifício dos Doges reunia toda a burocracia do Executivo, Legislativo e Judiciário da cidade de Veneza. Ou seja, por 1100 anos, de 697 a 1797, este palácio foi a residência e edifício do governo dos 120 governantes de Veneza (Doges). Como é de se esperar, seu requintado interior foi decorado por nomes como Tiziano, Tintoretto e Bellini. Afinal, todos os principais artistas da época faziam de tudo para ganhar o patrocínio da família governante de Veneza.

Palazzo Ducale
Palazzo Ducale

A visita vale muito a pena e passa por diferentes salões com inúmeros detalhes, assim como pelos Apartamentos Ducais e as Salas Judiciárias. Dessa forma, no interior do Palazzo, não deixe de observar as ricas pinturas de Tintoretto, Veronese e seus discípulos. Já no pátio, observe a belíssima Escadaria dos Gigantes onde os Doges eram coroados.

Mas o tour também passa por lugares sombrios, como prisões em celas subterrâneas. Inclusive, é aqui que podemos ver a Ponte dos Suspiros, pelo infeliz lado de dentro. Pois esta era a última visão que o condenado tinha de Veneza por um bom tempo (ou para sempre), então só lhe restava suspirar e chorar.

Diariamente aberto das 09:00 às 19:00.

Vale a pena comprar antecipadamente:
Venezia Palazzo Ducale
Palazzo Ducale
Gôndolas em San Marco

Todo mundo sabe que uma das coisas legais para fazer em Veneza é andar de gôndola. E elas estão por toda parte. Você até pode tirar uma foto de uma gôndola em qualquer lugar em Veneza, mas esta área na orla de San Marco, a Riva degli Schiavoni, como é chamada em italiano, é uma das mais incríveis. Certamente, a quantidade de gôndolas e o fundo com as construções nas ilhas do outro lado do canal é o que faz a beleza toda.

Gondolas em San Marco
Gondolas em San Marco

Giardinetti Reali

Apesar deste belo jardim tem uma localização incrível, ele permanece uma joia escondida em Veneza. Então, se você está procurando um lugar tranquilo e bem no coração de Veneza, não deixe de passar aqui.

Ponte dei Sospiri

A Ponte dos Suspiros é uma das pontes mais famosas de Veneza. Dificilmente você vai sair de Veneza sem uma foto dela. Esta ponte em estilo barroco foi construída no início do século XVII de rocha calcária branca. Ela atravessa o Rio di Palazzo, bem perto da Piazza San Marco, e conecta a “nova prisão” (Prigioni Nuove) às salas de interrogatório no Palácio Ducal. Ou seja, os detentos atravessavam a ponte para as prisões depois dos julgamentos. E pelas suas janelas eles suspiravam por ser a última vez que veriam a cidade por um bom tempo.

Caso você queira fotografá-la saiba que isto só é possível de dois lugares, a partir da Ponte della Canonica e da Ponte della Paglia. Além da gôndola, naturalmente.

O que fazer em Veneza Ponte dei Sospiri
Ponte dei Sospiri
Lenda

Diz a lenda diz que quem se beijar em uma gôndola ao pôr do sol sob a Ponte dos Suspiros com os sinos do Campanile di San Marco tocando, se amaram para sempre.

Dica

Se você quiser visitar o interior da ponte, vai ter de fazer uma visita ao Palácio Ducal, um dos passeios imperdíveis do que fazer em Veneza. Pois esta ponte é acessível somente de dentro do palácio.


Descubra a liberdade de explorar cada cantinho do seu destino com um carro! Alugue um carro e viva uma viagem inesquecível! Com a flexibilidade de horários e itinerários, você pode vivenciar experiências autênticas e desbravar lugares incríveis que ficariam fora do alcance com outros transportes.


Continuando o passeio por Veneza, o mapa abaixo mostra outra área perto de San Marco.

Chiesa di San Moisè

Nas proximidades da igreja de São Marco, foi construída outra igreja em estilo barroco. Primeiramente, ela se chamava San Vittore, porém, no séc. X, a igreja foi reconstruída, porque a antiga poderia ruir. Não deixe de observar no altar maior uma imensa tela com esculturas em alto-relevo feita por Enrico Merengo. Ali você pode ver Moisés recebendo as tábuas das leis. Ainda, a igreja abriga quadros do século XVII e XVIII, como “Lavanda dei piedi” de Tintoretto e “Última Cena” de Palma Il Giovane.

Uma das mais belas vistas da Basílica de Santa Maria della Salute é do Palazzo Contarini-Fasan.

Palazzo Contarini-Fasan

Este palácio foi construído em meados do século XV e é um dos mais belos exemplos do gótico veneziano tardio. O rendilhado nas varandas é muito delicado e ainda original, mas não tem simetria. O palácio também é conhecido como Casa de Desdêmona. Pois de acordo com uma lenda, o casal que morava aqui em meados do século XVI eram tão complicados e propensos ao drama como os personagens de Shakespeare Otelo e Desdêmona. Segundo outra lenda, a casa de Otelo está no Campo dei Carmini, também em Dorsoduro.

Teatro La Fenice

O Teatro La Fenice (A fênix) é o principal teatro lírico de Veneza. Ou seja, este teatro localizado no campo San Fantin é o lugar para você ir se quiser assistir uma ópera. O lugar oferece apresentações de ópera desde o século XVIII, mas já foi destruído e reconstruído inúmeras vezes.

>> Teatro La Fenice: Ingresso com Guia de Áudio

Chiesa di San Maurizio – Museo della Musica di Venezia

O Museo della Musica di Venezia fica dentro da bonita Chiesa di San Maurizio, no campo de mesmo nome. A igreja em estilo neoclássico não é mais utilizada para atividades religiosas e apresenta uma interessantíssima coleção de instrumentos musicais de corda. Dessa forma é possível ver vários violinos, violões, alaúdes, harpas, violas e até um cravo. Tudo incorporado em cenários bonitos e bem montados.

Ainda o museu conta uma exposição permanente dedicada a Antonio Vivaldi. Então é possível conhecer sobre a carreira e a época em que viveu o brilhante compositor veneziano. O acesso ao Museo della Musica di Venezia é gratuito e o horário das 09h30-19h, aberto todos os dias da semana.

Campo Santo Stefano

O Campo San Stefano leva o nome da igreja que está nele e é uma das maiores praças da cidade. Em suas pontas estão quatro palácios grandes: Palazzi Loredan, Morosini, Barbaro e Pisani-Moretta. As touradas aconteceram aqui até 1802, quando foram abolidas devido a um acidente naquele ano. No centro há uma estátua de Niccolò Tommaseo.

Campo Santo Stefano
Campo Santo Stefano
Chiesa di Santo Stefano

O orgulho da igreja é o seu belíssimo portal gótico, criado em 1442 por Bartomomeo Bon. No interior, você verá obras de Tintoretto e Canova. Por fim, nesta igreja se conserva o corpo de Santo Stefano Protomartire.

Ponte dell’Accademia

Originalmente, a famosa ponte de madeira da Academia era para ser de ferro, pois era uma ponte temporária até que uma estrutura mais substancial fosse construída. Entretanto, ela está até hoje neste lugar por pedido dos habitantes da cidade.

A ponte em forma de arco que liga os sestieri de San Marco e Dorsoduro. O que a torna tão atrativa, é que além de bonita, ela oferece uma vista muito bonita do Grande Canal. Então, é uma delícia ficar vendo o movimento de vai e vem de barcos e gôndolas dali.

Ponte dell’Accademia


Dorsoduro

O nome Dorsoduro deriva das palavras “osso duro”, uma referência ao solo duro encontrado nesta parte de Veneza. Fica a sul dos sestieri de Santa Croce e San Polo, englobando a ilha de Giudecca. É neste sestiere que se encontra a Galleria dell’Accademia, o principal museu de Venezia. Ao atravessar a Ponte dell’Accademia você está de frente a Galleria.

Mas o bairro de Dorsoduro é o bairro onde muitos dos venezianos moram. Inclusive, não há melhor lugar para os venezianos e fingir ser um do que o Campo Santa Margherita. Além disso, o Campo Santa Margherita também é conhecido por ter refeições baratas.

Gallerie dell’Accademia

A Accademia delle Belle Arti é um dos melhores e mais visitados museus da Itália. Então, você já pode imaginar que o que não falta neste museu são preciosidades. Primeiramente, a academia está localizada no monumental edifício da Scuola Grande di Santa Maria della Carità e foi fundada em 1750 pelo Senado Veneziano como escola de pintura, escultura e arquitetura. Inclusive, foi aqui que começou a se estudar restauração de obras em 1777.

Gallerie dell Accademia
Gallerie dell Accademia | Shutterstock: Baloncici

Com a maior coleção de arte veneziana do Renascimento (entre os séculos XIV-XVIII), você pode apreciar obras de grandes mestres italianos como Veronese, Tintoretto, os Bellini, Tiepolo, Ticiano, Giorgione, Carpaccio etc. Inclusive, é difícil falar em destaques tendo em vista a importância de todo o conjunto. Mas além das monumentais salas da Scuola, uma das obras mais impressionantes ocupa uma inteira parede e é a “Cena a casa di Levi” (1573), de Paolo Veronese. Ainda, não perca os desenhos de Leonardo da Vinci. Umas das obras mais famosas de Leonardo da Vinci, o Homem Vitruviano pertence à Galleria, porém como esta obra é um desenho muito frágil, ela não pode nem ser visitada ou vista. Dessa forma, ela só é exposta em ocasiões muito especiais.

Cà Rezzonico

Sem dúvida, este é um dos mais belos palácios de Veneza. Atualmente, ele abriga o Museo del Settecento Veneziano, com um belo acervo de obras do século XVII. Então, espere encontrar obras de Tintoretto, Tiepolo, Bassano, Schiavone, Rosalba Carriera, além de vários outros. Ainda você vai poder ver móveis e artefatos de uma antiga farmácia veneziana no 3º andar. A farmácia ficava numa esquina de Veneza que havia sido comprada por um antiquário francês, e que resolveu doá-la ao museu. Por fim, não deixe de subir até o último andar, pois a vista é insuperável.

Cà Foscari

A Universidade de Veneza fica espalhada por esta região, mas sua sede está um dos mais importantes palácios do gótico tardio em Veneza. O palácio veneziano-gótico Cà Foscari foi a casa do Doge Francesco Foscari, no século XV.

Cà Foscari Universidade de Veneza foi fundada em 1868 e foi a primeira instituição de ensino na Itália a oferecer ensino superior em comércio e economia. Atualmente a universidade oferece cursos em quatro principais áreas de atividades de ensino e pesquisa: economia, línguas, ciências e humanas.

Campo Santa Margarita

O Campo Santa Margherita é super movimentado e animado, afinal fica perto da universidade e é cheio de estudantes. Cheio de cafés e restaurantes, é o ponto de encontro para o público jovem universitário, mas não só. Afinal muitos moradores frequentam a área.

O Campo é pontudo como uma letra T, com a antiga Igreja de Santa Margherita, que agora é uma igreja desconsagrada e abriga um auditório. Mas ainda observe que a antiga igreja tem algumas belas esculturas na fachada. Já no meio do campo está o edifício da Scuola dei Varoteri (indústria de peles).

Campo dei Carmini

Mais uma praça com algumas atrações em Veneza. Aqui você pode ver a igreja Santa Maria dei Carmini e a Scuola Grande dei Carmini. A Scuola possui nove telas incomparáveis de Giambattista Tiepolo, que as pintou no teto ​​entre 1739 e 1749.

Ainda, segundo a lenda, a casa de Otelo, personagem de Shakespeare, fica no Campo dei Carmini.

Campo San Barnaba

A Chiesa di San Barnaba domina a praça por causa de sua magnífica fachada, na qual não acontecem mais missas, mas sim exposições. A Igreja de San Barnaba contém várias obras de arte, incluindo várias pinturas de importantes artistas que trabalharam em Veneza, como Palma il Giovane e Paolo Veronese. As obras mais famosas da igreja são o teto pintado por Giambatista Tiepolo e a pintura “Sagrada Família” de Paolo Veronese. Ainda na igreja há uma exposição permanente de obras de Leonardo da Vinci (1514 – 1564) – máquinas e peças de máquinas do mestre.

Muitas cenas do filme “Summertime” foram gravadas aqui nesta praça e ainda algumas cenas de “Indiana Jones e a Última Cruzada”.

Campo San Barnaba
Campo San Barnaba | Shutterstock: ansharphoto

Para o outro lado da Gallerie dell’Accademia fica a região conhecida como Zattere, dentro de Dorsoduro. Aqui perto ainda fica a Collezione Peggy Guggenheim, um dos museus de arte moderna mais importantes do mundo. Zattere é uma palavra veneziana que significa balsa de madeira. Em tempos antigos, troncos de árvores e vigas foram levados pela água e depositados ao longo destas bordas.

Coleção Peggy Guggenheim

Considerada uma das mais importantes coleções de arte moderna do mundo, este museu tem no acervo obras lindas de Kandinsky, Miró, Magritte, Picasso, Klee, Chagall, De Chirico, Ernst etc. Em resumo, o museu apresenta obras de cerca de 200 artistas contemporâneos desde o Cubismo, passando pelo Futurismo até o Surrealismo.

A coleção está alojada no belo Palazzo Venier dei Leoni, no Grande Canal e além de ver obras de arte de valor inestimável, você pode passear pelo jardim e conhecer a casa de Peggy. Ali você vai achar a Árvore dos Desejos de Yoko Ono, de 2003, onde qualquer um pode deixar um recado. Além da coleção permanente, o lugar apresenta exposições temporárias e tem um tradicional café e uma loja de lembranças.

Campo de la Salute

Ao atravessar a Ponte de l’Abazia chega-se ao Campo de la Salute, onde está a igreja de Santa Maria de la Salute, uma pérola do barroco italiano. O campo e a igreja estão construídos sobre uma “floresta enterrada” de 1.156.627 estacas de madeira cravadas no lodo. Aliás, saiba que a vista do Grand Canal e do Bacino di San Marco é maravilhosa daqui.

Campo de la Salute
Campo de la Salute | Shutterstock: Pani Garmyder
Basílica de Santa Maria della Salute

Um dos marcos arquitetônicos de Veneza, a Basílica Santa Maria Della Salute foi construída ao lado da Punta della Dogana (Ponta da Alfândega) em agradecimento ao fato da cidade ter sobrevivido à peste que, em 1630, dizimou a população (mais de 80 mil mortos apenas na ilha). “Salute” significa justamente “saúde”, assim como “salvação”. A igreja é coroada pela estátua da Virgem Santa Maria, que simboliza a Saúde que defende Veneza da peste.

Em seu interior, destaca-se uma importante obra de Tintoretto, chamada As Bodas de Canaã. Mas ainda tem três obras de Tiziano no teto: Morte de Abel, Sacrifício de Abraham e David e Golias. Nas capelas laterais encontram-se telas de Luca Giordano e de Tiziano. Sem dúvida, visitar esta área é uma das coisas legais para fazer em Veneza.

Punta della Dogana

Esta era a antiga alfândega da cidade. Atualmente o lugar abriga um museu com a coleção de arte do magnata dos artigos de luxo, François Pinault. Mais um lugar que tem uma vista impressionante do Grande Canal e San Marco, assim como para o outro lado, para Giudecca.

Squero de Domenico Tramontin & Figli

Este é um dos melhores fabricantes de gôndola na cidade. Você sabia que oito diferentes tipos de madeiras são usados na construção de uma simples gôndola? Sim, eles usam carvalho, olmo, nogueira, abeto, mogno, larício, cerejeira e tília. Sendo que cada madeira tem uma finalidade diferente. As gôndolas deste fabricante foram exportadas para todo o mundo e são vistas em lugares como Nova Iorque e Souzhou (China).

Chiesa di San Sebastiano

A Igreja de São Sebastião é uma igreja decorada por Veronese. Assim sendo, muitas das obras primas de Veronese podem ser admiradas aqui. Fora que ele está enterrado nesta igreja, próximo ao órgão.

Nas paradas de vaporetto San Basilio e Zattere SX você pode pegar o vaporetto para ilha de San Giorgio Maggiore. A linha 2 é a única que passa pela ilha e para nestas paradas.

Venezia San Giorgio Maggiori
Ilha San Giorgio Maggiori vista do Campanile

San Giorgio Maggiore

Esta é a ilha com a igreja e o campanile da famosa paisagem com as gôndolas que a gente vê de San Marco. Então, caso você queira conhecer esta ilha, saiba que a vista de lá também é muito bonita!

Provavelmente, a ilha de San Giorgio Maggiore foi ocupada no período romano, pois sabe-se que no ano 829 tinha uma igreja consagrada a São Jorge. Por isso que a ilha se chama San Giorgio Maggiore (São Jorge Maior). Em termos de história, foi nesta ilha que se realizou o último conclave fora de Roma, o conclave de 1799-1800.

San Giorgio Maggiore
San Giorgio Maggiore ao fundo

Igreja de San Giorgio Maggiore

A igreja foi concluída no ano de 1576, mas sua fachada só foi terminada em 1610. A igreja é bem bonita e em estilo clássico. Do alto do campanário da igreja pode-se desfrutar de uma das mais belas vistas sobre a ilha de Veneza. Além da vista maravilhosa, vale a pena vir até aqui para ver os últimos quadros de Tintoretto, como A Última Ceia (1592-1594), Recolha do Maná (1594) e A Deposição (1592-94).

Venezia San Giorgio Maggiore
Igreja de San Giorgio Maggiore

Giudecca

Comparativamente com outras regiões de Veneza, poucos turistas vêm até a Giudecca, aqui o turismo de massa não existe. Por isso, se você quer saber o que fazer em Veneza, mas não gosta de multidões, passear aqui pode ser uma boa pedida. Pois não tem museus, edifícios ou galerias mundialmente famosas na ilha. Assim como, esta é uma área mais residencial para pessoas comuns em Veneza. Mas nesta ilha existem padarias, deliciosas pizzarias, açougues típicos italianos. Certamente é isso que torna Giudecca interessante.

La Giudecca tem cerca de dois quilômetros de comprimento e não mais de 300 metros na direção norte-sul, ou seja, ela tem pouco mais de meio quilômetro quadrado e abriga cerca de 6.000 habitantes. Aliás, a ilha de Giudecca teve e ainda tem alguns moradores importantes. Michelangelo morou aqui por alguns anos. Por isso, uma longa rua na ilha leva seu nome (Calle Michelangelo). Ainda se diz que Elton John tem uma casa em Giudecca.

>> Tour a pé de descoberta da Ilha Giudecca

O que fazer em Veneza Giudecca
Giudecca
Igreja Il Redentore

Se você tiver que visitar somente uma atração na ilha de Giudecca, saiba que esta bela igreja é imperdível. A Igreja do Redentor foi construída no século XVI como um agradecimento a Deus por salvar a cidade de Veneza da peste. Dentro da igreja estão algumas grandes pinturas de Saraceni, Bassano e outros artistas, principalmente do século XVI.

Casa dei Tre Oci

No oeste da ilha, como quase todos os pontos turísticos mais importantes da Giudecca, está a casa Tre Oci (“três olhos”, no dialeto veneziano). Neste belo edifício de estilo neogótico do início do século XX são apresentadas exposições de arte temporárias.

Chiesa Le Zitelle

A Igreja Zitelle fica a apenas 20 metros do Tre Oci e foi reaberta ao público depois de décadas fechada, pois abrigava uma escola de convento para meninas.

Castello

Esta é a ponta da ilha principal, depois de San Marco, apesar de ser uma região pouco visitada pelos turistas, ela tem algumas atrações interessantes. Principalmente para quem se interessa por história naval.

Chiesa di San Giovanni in Bragora

Esta igreja é dedicada a São João Batista e foi fundada no início do século VIII. No seu interior podemos ver obras de Alvise Vivarini, Palma o Jovem, Cima da Conegliano. Ainda dentro da igreja você pode ver uma placa que comemora aqui o batismo do músico Antonio Vivaldi em 1678.

Scuola di San Giorgio degli Schiavoni

Também conhecida como Scuola Dalmata di San Giorgio e Trifone, esta escola abriga um famoso ciclo de pinturas de Vittore Carpaccio dedicado à vida de São Jorge, que está no piso térreo. Além disso, seu interior é adornado com uma série de importantes obras de arte.

>> Áudioguia para visita da Scuola Dalmata di San Giorgio e Trifone

Arsenale di Venezia

A área do Arsenal de Veneza é enorme e para gente ter uma ideia, ela correspondente a quinze por cento de Veneza! Em resumo, este foi um complexo de estaleiros e arsenais agrupados nesta área. Antigamente, eram produzidos aqui os navios (mercantes e de guerra) e embarcações que deram a Veneza a força naval que gerou fama e poder durante parte do meio do segundo milênio d.C.

Arsenale di Venezia

A construção do arsenal permitiu que os navios fossem construídos e estacionados em um só lugar. Dessa forma, o lugar foi um dos primeiros empreendimentos industriais de produção em massa de navios na história, antes da Revolução Industrial. No período do seu apogeu, no século XVI, o Arsenal empregava cerca de 16.000 pessoas que seriam capazes de fabricar um navio por dia!

Atualmente o Arsenal é propriedade do Estado e está preservado. Inclusive, hoje também é palco de um dos maiores eventos de arte do mundo: a Biennale di Venezia.

>> Veneza: Cruzeiro pela Lagoa com Jantar no Galeão

Museo Storico Navale

Bem ao lado do Arsenale, o museu naval oferece uma boa coleção de réplicas de antigos navios mercantes e de guerra que foram utilizados pela República de Veneza. Inclusive você vai encontrar uma réplica do Bucintoro, o barco folheado a ouro que os Dogi utilizavam no dia da Ascensão.

Ilhas de Veneza

Apesar de Veneza ser uma ilha, ou melhor, uma junção delas, existem várias outras ilhas nos arredores que valem muito a pena conhecer. Algumas delas são bem famosas, como Murano, Burano, Lido, mas tem mais algumas outras que valem a menção. Então abaixo segue algumas sugestões de ilhas para você conhecer, se quiser saber o que mais fazer em Veneza.

O que fazer em Veneza Ilhas

Isola di San Michele – Cemitério San Michele

Pouco antes de chegar a Murano, se vê à direita a ilha de San Michele, que tem sido o cemitério de Veneza desde 1806. San Michele está situado numa ilha tranquila a poucos minutos da cidade pela via Vaporetto, e é apelidado de “ilha dos mortos”. No passado, havia duas ilhas separadas, San Michele e San Cristoforo que se juntaram em 1837, a fim de obter espaço suficiente para o cemitério.

Caso você queira ir até lá, não deixe de visitar a Igreja San Michele, construída em estilo renascentista em 1469. Linhas de vaporettos que passam por esta ilha: 4.1 e 4.2

Isola di San Michele
Isola di San Michele

Murano

Sem dúvida, Murano deveria estar na sua lista do que fazer em Veneza, se você tiver um tempo a mais na cidade. Ela é a ilha mais famosa da que estão nos arredores de Venez e está situada a cerca de 1 km ao norte. Na realidade, é composta por cinco ilhotas. Dessa forma, é uma ilha grandinha e que tem cerca de 7000 habitantes.

A principal atividade de Murano é a produção de vidro artístico, depois vem o turismo, e tenho certeza de que você vai se encantar com o que vai encontrar! Por isso, Murano também é chamado de “a ilha de vidro”.

Murano
Murano | Shutterstock: Aliaksandr Antanovich

Existem muitas lojas e fábricas de vidro por toda a ilha. Inclusive, algumas delas oferecem demonstração de como as peças de vidro são produzidas. As famílias Toso, Barovier, Salviati e Seguso (apenas fazendo menção de algumas) têm contribuído, ao longo dos séculos, com seus vidraceiro-mestres, para fazer com que Murano seja conhecida no mundo inteiro.

Linhas de vaporettos que passam por esta ilha: 3, 4.1 e 4.2, 12.

Fondamenta dei Vetrai

Nesta rua à beira-mar estão localizadas muitas lojas que vendem vidro artístico. Se você estiver planejando comprar vidro de Murano, sugiro que você confira os preços em diferentes lojas. Pois o preço pode variar um pouco. Além disso, é necessário perguntar aos lojistas se o objeto que deseja comprar tem a marca “Vetro Artistico di Murano”. Dessa forma, você evita comprar um produto, talvez mais barato, mas provavelmente “made ​​in China”. Infelizmente, isto não é raro acontecer.

Scuola del vetro Abate Zanetti

A Escola de vidro em Murano é nomeada em homenagem ao abade Vincenzo Zanetti, e oferece interessantes visitas e cursos para crianças.

Chiesa di San Pietro Martire

A Igreja de São Pedro Mártir, do século XV, vale a visita. Pois ela contém pinturas notáveis ​​de Giovanni Bellini e Paolo Veronese.

Canal Grande di Murano

Murano também tem seu grande canal e que praticamente divide a ilha em duas partes. O canal é atravessado pela Ponte Lino Toffolo (1866), também chamada de “Ponte Longo”.

Museu del Vetro

Dentro do Palazzo Giustinian, fica o Museu do Vidro de Murano. No passado, o palácio foi a antiga residência dos Bispos de Torcello, entre 1659-1805. Desde 1861 o palácio tornou-se a sede do Museo del Vetro por ordem do abade Vincenzo Zanetti. A coleção inclui mais de 4000 objetos de artesanato do passado ao presente, com peças arqueológicas que datam dos sécs. I à III d.C, até lindas coleções do séc. XV ao XIX.

Fondamenta Giustinian, 8.

Basilica Santi Maria e Donato

Esta é a Catedral de Murano, cujo ano de fundação é 999. A igreja foi dedicada no começo à Santa Maria, mas em seguida, foi dedicada também a San Donato. Aliás, isto aconteceu em 1125, quando o corpo do santo foi transferido de Cefalônia. Dentro da igreja, que é a mais importante da ilha, tem um belo piso feito de mosaicos (de 1140) e algumas belas pinturas.

Chiesa Santa Maria degli Angeli

Mais uma igreja do século XII, com algumas belas pinturas, incluindo a “Madonna e santos na glória”, de Jacopo Palma il Giovane. Antigamente, esta igreja continha muitas mais obras de arte, entretanto algumas delas foram transferidas para a igreja de S. Pedro Mártir, em 1813.

Burano

Certamente esta é a mais charmosa das ilhas nos arredores de Veneza! Então, se você está atrás de belos fundos para suas fotografias, não perca a visita a Burano. Não é por acaso que Burano é regularmente listada como um dos lugares mais instagrameáveis do mundo! Pois suas casas coloridas e os barcos de pesca nos canais são encantadores. Além disso, a ilha tem várias lojinhas vendendo rendas delicadas e a total ausência de turismo de massa.

Burano
Burano | Shutterstock: StevanZZ

As casas coloridas de Burano são tão coloridas porque não existe uma lei para preservar o patrimônio histórico. Assim, as pessoas podem mudar a cor das próprias casas como bem entendem.

A ilha é minúscula, então você pode andar sem rumo que sempre vai se perder e encontrar facilmente. Por certo, você vai encontrar surpresas coloridas em cada esquina. Sem dúvida, uma das melhores coisas para fazer em Burano é simplesmente passear e mergulhar na atmosfera única. Afinal, não há lugar no mundo como este!

Linhas de vaporettos que passam por esta ilha: 9, 12.

Chiesa San Martino Vescovo

A igreja de San Martino data do século XVI e no seu interior você vai encontrar uma crucificação de Giambattista Tiepolo (por volta de 1721). Por fim, não deixe de observar a torre inclinada da igreja. Naturalmente ela não é tão inclinada como a Torre de Pisa, mas tem uma certa angulação nos seus 53 metros de altura.

Museo del Merletto

Uma das principais atrações turísticas de Burano é o Museu da Renda (Lace Museum). Afinal a renda é feita artesanalmente na ilha há vários séculos, entretanto o ofício é pouco praticado atualmente.

Nas salas do museu você vai encontrar informações detalhadas sobre as exposições em italiano, inglês e alemão. Ainda no mesmo edifício está a Escola de Renda de Burano. Dessa forma, na escola você poderá ver senhoras fazendo as rendas durante sua visita ao museu.

O museu fica na Piazza Galuppi, a praça principal de Burano. Não deixe de observar ali o poço de pedra da Ístria que remonta ao século VI, assim como a estátua de Baldassarre Galuppi, um famoso compositor de Burano.

Tre Ponti

Assim como Veneza, Burano tem algumas pontes encantadoras para admirar, mas a Tre Ponti tem a localização perfeita e é super fotogênica. De fato, esta ponte de madeira liga três canais e três das ruas mais coloridas de Burano (Via Giudecca, Via San Mauro e Via San Martino Sinistro). Aliás, toda esta região é repleta de lojas de artesanato, pequenos restaurantes e muitas casas coloridas.

Onde encontrar as casinhas coloridas

Burano é mais conhecida por suas ruas estreitas e coloridas, então para encontrar as belas casas coloridas em Burano, olhe no mapa acima a indicação de Case colorate Burano. Ainda outro ponto bastante fotogênico é a Casa di Bepi Suà, que é famosa pelas suas cores vivas. Esta casa icônica em Burano é pintada com formas geométricas arrojadas, que se estendem até a porta e as persianas da casa.

Torcello

A ilha de Torcello é uma das três principais ilhas visitadas pelos turistas, juntamente com Murano e Burano. Entretanto, ela é a mais distante das três de Veneza. Isso significa que se você estiver usando transporte público para visitar as três ilhas, você vai precisar de 6 ou mais horas do seu tempo em Veneza. Dessa forma, se você planeja visitar as ilhas, uma boa alternativa é fazer um passeio de barco por três ilhas que funciona diariamente.

Outrora a capital comercial de Veneza que chegou a ter 20 mil habitantes, hoje, Torcello possui uma população de apenas 60 pessoas. Inclusive, ela é conhecida como a ilha da “espiritualidade”, pois é um local minúsculo, com poucas casas. Mas na ilha você vai encontrar uma catedral com mais de 1000 anos, que, segundo dizem, foi a primeira igreja a ser construída na região de Veneza. Linhas de vaporettos que passa por esta ilha: 9, 12.

Torcello | Basilica di Santa Maria Assunta
Museu de Torcello

O Museu de Torcello conta a história da ilha que era ponto de chegada e local de comércio entre o mar e o continente já no século I d.C. O Museu abriga duas seções permanentes, sendo uma a Arqueológica, já a outra sobre a história Medieval e Moderna da ilha.

Basilica di Santa Maria Assunta

Dizem que esta igreja de 1008 foi a primeira catedral de Veneza. Ela possui magníficos mosaicos bizantinos, como o Mosaico de Nossa Senhora e o vasto mosaico com o Juízo Final. Aliás, o Mosaico de Nossa Senhora possui fundo de ouro puro e é uma das obras mais impressionantes da arte bizantina na Itália.

Chiesa di Santa Fosca

Esta igreja do século XII ganhou este nome porque aqui estão enterradas as relíquias da mártir homônima. Elas foram trazidas para a ilha do oásis de Sabrata na Líbia antes de 1011.

Lido di Venezia

Lido é o sofisticado balneário de Venezia, que exala seu charme próprio, juntamente com seus edifícios impressionantes e de caráter expressivo. Esta pequena faixa de ilha com suas praias e hotéis que separa a mundialmente famosa lagoa de Veneza do mar aberto.

Por muito tempo, o Lido di Venezia não foi um destino particularmente popular para turistas ou moradores locais. No entanto, com o tempo, as pessoas reconheceram a peculiaridade da interessante faixa da ilha. Inclusive, ela já foi frequentada por diversos famosos como D’Annunzio, Goethe, Byron. Fora que foi imortalizada no romance de Thomas Mann, posteriormente no filme de Visconti, “Morte em Veneza”. Ainda, por muito tempo abrigou o Festival de Cinema.

Atualmente, a bela faixa de areia tornou-se um balneário popular e muito elegante, que tem grandes praias de areia. Dessa forma, este é o lugar para os turistas que não querem ficar muito longe de Veneza e ainda podem relaxar, curtir praia e descansar. Aliás, Lido abriga um cassino, um dos poucos na Itália onde o jogo é permitido. Linhas de vaporettos que passam por esta ilha: 10, 20, 14, 17.

Lido di Venezia
Lido di Venezia | Shutterstock: Pietro Basilico

Conclusão

Veneza é uma cidade incrível e que merece vários dias de viagem, por isso, espero ter ajudado você a encontrar atrações mais interessantes e outras coisas o que fazer em Veneza além do básico. Caso você tenha alguma sugestão ou ainda alguma dúvida, nos escreva nos comentários ali em baixo. Certamente, vamos ter prazer em te ajudar!

Caso este post tenha te agradado ou te ajudado de alguma forma, utilize os links que estão dentro dele para fazer suas reservas. Através deles ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda a sempre ter conteúdo fresquinho e de qualidade para você! Obrigada!!

Leia neste Artigo:

Tours Viajoteca

Conheça nossos tours e passeios exclusivos e privados, com guias e motoristas que falam português!
OFICIAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.